fbpx

Lubrificantes atóxicos garantem processo sem contaminação de alimentos e bebidas

Quando deve ser feita a higienização do ar condicionado automotivo?
Quando deve ser feita a higienização do ar condicionado automotivo?
22 de janeiro de 2020
Conheça as funcionalidades do condicionador de metais
Conheça as funcionalidades do condicionador de metais
29 de janeiro de 2020

A Promax Bardahl produz uma linha completa de óleos e graxas atóxicas que, em caso de contato acidental com o produto, não causam prejuízo ao processo, nem inviabilizam seu consumo. Empresa é uma das primeiras do Brasil a receber certificação internacional para produção desta linha

Quando abrimos a embalagem de um alimento industrializado, raramente, ou nunca, paramos para pensar como ele é feito. Mas deveríamos. Afinal, do pão à cerveja, todos passam por máquinas. E máquinas precisam de óleos ou graxas para funcionar. A boa notícia é que o Brasil conta com tecnologia para evitar contaminação no processo de produção, mesmo em caso de, acidentalmente, o lubrificante entrar em contato com o produto na fábrica.

Há 13 anos, a Promax Bardahl atua na fabricação de lubrificantes e graxas da categoria H1 (que pode ter contato acidental com o alimento, sem prejuízo ao processo). A empresa é uma das primeiras fabricantes brasileiras a receber o certificado da NSF International, em função de atender integralmente as exigências da Resolução número 804, de 20 de dezembro de 2019, da Agência Nacional do Petróleo (ANP), para a fabricação de produtos de grau alimentício, de acordo com a ISO 21469 (Segurança de máquinas - Lubrificantes com contato acidental com o produto - Exigências de higiene).

Para ter uma planta certificada para fabricar produtos da categoria H1, a Promax Bardahl construiu uma estrutura que se assemelha a indústria farmacêutica. “Estamos entre os primeiros a ter uma planta certificada no Brasil e uma das 28 no mundo. Isso prova que nossa fábrica atende aos padrões mais exigentes que existem. Nossa área de fabricação de produtos de grau alimentício pode ser comparada a uma sala cirúrgica, com nível praticamente zero de contaminação”, compara Marcelo Escarabajal, diretor executivo da empresa.

Aditivo anticongelante atóxico - Um exemplo de produto com utilização segura para a indústria alimentícia é o KELUBE PG COOLANT, um aditivo atóxico anticongelante e concentrado, à base de Propilenoglicol. É aplicado em pontos onde podem ocorrer contatos incidentais com produtos durante seus processos de fabricação. 

Atualmente, a Promax Bardahl atua no mercado alimentício com uma linha completa de graxas, desengripantes em aerosol, lubrificantes hidráulicos para bombas de vácuo e correntes de fornos, sopradores, redutores, compressores e produtos de limpeza. Entre seus clientes estão alguns dos maiores representantes das indústrias de bebidas, frigoríficos (aves, suínos), alimentos (chocolates, balas, biscoito), ração, farmacêutica, cosméticos e usinas de açúcar.