Escolha o tipo certo de óleo para seu veículo

Você sabe que o lubrificante passa por teste severo em motores?
27 de maio de 2021
Você gosta de veículo esportivo ou de passeio?
18 de junho de 2021

Entenda o que são e como funcionam os lubrificantes sintético, semissintético e mineral.

Escolha o tipo certo de óleo para seu veículo

Sabe aquele tipo de informação que, de tempos em tempos, você precisa e toda vez fica na dúvida? Pode ser um determinado trajeto, que, apesar de já ter sido percorrido, ainda carece do apoio do GPS. A mesma coisa pode ocorrer na escolha do tipo certo de óleo para o motor do seu veículo.

Se esse é o seu caso, nós compreendemos que esse tipo de dificuldade é normal e elaboramos esse texto para ajudar, especificamente no caso dos lubrificantes para motor.  

A dica básica sobre como proceder é, sempre que possível, consultar o manual do veículo. Se você fizer isso, então não tem erro. Está tudo lá. Se não conseguiu ou ainda está na dúvida, sem problemas, este artigo foi criado para explicar.

Além disso, sabemos que entender porque o fabricante indica esse ou aquele tipo de óleo vai facilitar a vida de muita gente quando chegar a hora da próxima troca. Fique ligado nas informações que selecionamos especialmente sobre o tema:

Leia também:

👉 Tudo o que você precisa saber sobre o Bardahl B12:
👉 Qual é a diferença entre lubrificante mineral, sintético e semissintético?:
👉 Promax atualiza a tecnologia dos lubrificantes:

O tipo de óleo faz a diferença?

A resposta é: sim! Usar um lubrificante diferente do indicado para o seu veículo pode acarretar problemas graves, desde maior consumo de combustível e desgaste das peças que ficaram desprotegidas, até a redução da vida útil dos componentes do motor.

Tipo de óleo


Existem três tipos de lubrificantes destinados a motores veiculares: sintético, semissintético e mineral.

1 – Óleo Mineral
É o mais tradicional dos lubrificantes. Obtido por meio do refino do petróleo, é o que apresenta menor preço, em comparação ao sintético e semissintético.
Apresenta baixa resistência para trabalhos com altas temperaturas e sua durabilidade é inferior, normalmente necessitando de troca a cada 5 mil quilômetros. É utilizado e recomendado principalmente em veículos mais antigos.
2- Óleo Semissintético
Trata-se de uma base mineral e adição de componentes sintéticos com no mínimo 10% em sua composição. Apresenta desempenho superior ao mineral -, tendo o propósito de unir o melhor de cada um dos óleos em que se origina.
É recomendado para motores fabricados depois dos anos 2000 que trabalham com tecnologias de injeção eletrônica, maiores taxa de compressão e número de válvulas e pode ser usado em motores antigos, tem preço intermediário no mercado nacional.
3 – Óleo Sintético
Obtido por seleção criteriosa dos componentes em laboratório, por meio da combinação de óleos sintéticos após refino severo do petróleo e outros componentes químicos, funciona bem em qualquer temperatura e condição.
Os processos químicos resultam em um produto mais uniforme e com maior durabilidade em relação aos outros dois tipos (semissintético e mineral).
É o mais caro, contudo, além de durar mais tempo, lubrifica melhor e é mais resistente à oxidação. Indicado para veículos e motores modernos.

Cuide bem do seu motor diesel

Agora que você já entendeu as diferenças entre sintético, semissintético e mineral, vamos falar sobre viscosidade.

Por que isso é importante?

Imagine que, por exemplo, você usou um óleo menos viscoso (ou seja, mais “fino”) do que o recomendado. Isso afetará a formação da película de óleo entre os cilindros e pistões, aumentando o atrito entre as peças e, consequentemente, o desgaste.

Por outro lado, se optar por um lubrificante com maior viscosidade (mais “grosso”) que o indicado no manual, precisará de mais energia da bomba de óleo. E isso, consequentemente, diminuirá sua vida útil. Você também pode esperar problemas na partida a frio do motor pela demora na circulação até as partes altas do motor. 

O indicador de viscosidade do lubrificante aparece junto a letra W, no rótulo do produto. Quanto menor a numeração à esquerda do W, mais fluido o lubrificante em baixas temperaturas. Já o número após o W, indica a viscosidade sob altas temperaturas. 

Você pode entender mais sobre o W da questão em artigo especial publicado aqui no Blog Bardahl. Conheça a linha de lubrificantes da Promax Bardahl. Clique e confira.

Como obter maior desempenho na lubrificação do motor?

Aditivar o lubrificante é uma forma inteligente de fornecer mais qualidade, durabilidade e desempenho ao motor. A Promax Bardahl produz uma linha de tratamento para cárter – B12 Plus, B12 Turbo, B12 Premium e novo Power Racing – com eficiência comprovada há anos pelo mercado e consumidores. Os produtos dessa linha são compatíveis com óleos sintéticos, semissintéticos e minerais.

Atuam no aumento do índice de viscosidade do óleo durante alterações da temperatura, melhorando sua lubrificação. Com formulação e composição desenvolvidos para atuar diretamente na redução do desgaste, formando a famosa película de atração polar, garantindo melhor performance principalmente na partida à frio, acrescentam ainda as funções detergente, dispersante, antidesgaste, anticorrosiva, entre outras.

BANNER_BLOG_ADITIVOS